Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Artigos
O Conceito Tanaico de "Satã"

Satã é uma figura que recebe bastante atenção e destaque entre muitos religiosos. Para muitos, acreditar neste ser é fundamental para a fé, para outros, este ser é uma fantasia criada pelas pessoas. Mas e para nós Yisrã’elim que temos o Tanakh como regra de fé, o que o Tanakh nos revela a respeito desta figura?

Definição

No Hebraico a palavra (Sãtãn - שָׂטָן) significa “adversário”, e esta palavra aparece em todo o Tanakh por 27 vezes. É importante ressaltar que a palavra “satanás” que conhecemos no Português veio do Grego (Satanas - Σατανᾶς) que é o correspondente grego da palavra em Hebraico “sãtãn”.

Analisando o Tanakh

Antes de começarmos nossa análise dos Escritos, acho importante refletirmos a respeito de como as pessoas descrevem Satã. Apesar deste ser não ter uma forma concreta ao qual todos possam ver e testemunhar, as pessoas criam imagens que descrevem este ser e ao criar estas figuras através de desenhos, pinturas ou esculturas, é comum dar-lhe chifres e uma tonalidade de pele vermelha. Ao descrever o som de sua voz muitos o fazem dando-lhe uma voz grossa e estrondosa que impõe medo nas pessoas. Observe que estas 3 características são qualidades de força e poder.

O chifre era um elemento que representava força e poder dentro dos conceitos das culturas antigas, inclusive na cultura semita, confira mais a respeito no artigo: O conceito Tanaico de “Chifre”.

A pele vermelha também é um elemento que representa força e gera medo nas pessoas, inclusive temos até hoje dentro da cultura chinesa representações dos antigos samurais que se pintavam de vermelho ou usavam vestimentas vermelhas para gerar medo nos adversários.

A voz estrondosa também é um elemento para gerar medo nas pessoas e esta voz trás um aspecto de força e poder. Inclusive esta voz estrondosa e imponente é uma característica da voz de YHWH.

"Fazendo ele ouvir a sua voz, grande estrondo de águas há nos céus, e faz subir os vapores desde o fim da terra; faz os relâmpagos com a chuva, e tira o vento dos seus tesouros,"
Yir'miyãhu/Jeremias 51.16

Todos estes atributos de poder não seria uma forma de idolatria? Não seria idolatria reconhecer outro poder além do único Poderoso que é o Criador dos Céus e da Terra, o Elohim de Yisrã’el? Temos um artigo semelhante que aborda esta questão da idolatria e está de fato relacionado com o assunto abordado neste artigo: *[Idolatrando os demônios]*.

Bom, vamos agora então analisar o que o Tanakh fala a respeito de Sãtãn. E o primeiro ponto que vamos analisar está em Shemu’el ãleph, onde Dãwidh é um “sãtãn”.

"Disseram então os príncipes dos filisteus: Que fazem aqui estes hebreus? E disse Aquis aos príncipes dos filisteus: Não é este Dãwidh, o servo de Shã’ul, rei de Yisrã’el, que esteve comigo há alguns dias ou anos? Coisa nenhuma achei nele desde o dia em que se revoltou, até ao dia de hoje. Porém os príncipes dos filisteus muito se indignaram contra ele; e disseram-lhe os príncipes dos filisteus: Faze voltar este homem, para que torne ao lugar em que tu o puseste, e não desça conosco à batalha, para que não se torne nosso adversário [לְשָׂטָ֖ן - lesãtãn] na batalha; pois, com que poderia este agradar a seu Senhor? Porventura não seria com as cabeças destes homens?"
Shemu'el ãleph/1 Samuel 29.3-4

Mas por qual motivo a palavra “sãtãn” foi usada para designar à Dãwidh? Sãtãn não é um nome próprio, mas sim, um adjetivo, e o tradutor bem entendeu e traduziu bem colocando o termo “adversário”.

Existem vários outros textos onde o termo “sãtãn” é utilizado para designar um homem ou homens que são adversários, mas é desnecessário expormos todos os textos. Vamos analisar porém, um texto onde o Anjo de YHWH é um “sãtãn”.

"E a ira de Elohim acendeu-se, porque ele se ia; e o anjo de YHWH pôs-se-lhe no caminho por adversário [לְשָׂטָ֣ן - lesãtãn]; e ele ia caminhando, montado na sua jumenta, e dois de seus servos com ele."
Bamidh'bar/Números 22.22

YHWH se ira contra Bil’ãm (Balaão) e manda o Seu anjo para ser adversário (sãtãn) de Bil’ãm. Apesar da cultura comum dizer que Satanás é um anjo caído, creio que ninguém em sã consciência diria que este “Anjo de YHWH” seja Satanás.

Portanto percebemos claramente que sãtãn é um título dado a todo aquele que se opõe a alguém, sendo ele homem ou mesmo o Anjo de YHWH.

Entendendo isso, agora podemos entender melhor o pãsuq abaixo:

"Põe sobre ele um ímpio, e Satanás [וְ֝שָׂטָ֗ן - wesãtãn] esteja à sua direita."
Tehilim/Salmos 109.6

O tradutor colocou o nome “Satanás”, mas esta tradução foi bastante tendenciosa, sendo que o contexto não dá razão alguma para tal tradução. Outras traduções trazem o termo “acusador”, o que seria uma ótima tradução. Mas por que é uma tradução ruim traduzir como “Satanás”? Pelo simples fato de já entendermos que “sãtãn” significa “adversário”, ou seja, não se trata de um nome.

Esta tradução falha acaba gerando dúvidas e acaba sendo tropeço para algumas pessoas quando nos deparamos com os textos de Shemu’el Beth 24 e Div’rê hayamim 21. Estes dois textos contam a mesma história, porém, o personagem causador da história é descrito de forma diferente. Vejamos os pessuqim.

"E a ira de YHWH se tornou a acender contra Yisrã'el; e incitou a Dãwidh contra eles, dizendo: Vai, numera a Yisrã’el e a Yehudhãh."
Shemu'el beth/2 Samuel 24.1

"Então Satanás [שָׂטָ֖ן - sãtãn] se levantou contra Yisrã’el, e incitou Dãwidh a numerar a Yisrã’el."
Div'rê hayamim/1 Crônicas 21.1

Afinal, foi YHWH quem incitou Dãwidh ou foi Satanás? A resposta é simples e já sabemos qual é: O texto não fala de “Satanás”, mas sim, de “Adversário”. O texto ficaria muito melhor traduzido se estivesse conforme abaixo:

"Então o adversário [שָׂטָ֖ן - sãtãn] se levantou contra Yisrã’el, e incitou Dãwidh a numerar a Yisrã’el."
Div'rê hayamim/1 Crônicas 21.1

Este adversário pode ser inclusive uma pessoa que aconselhou Dãwidh a fazer o recenciamento, e isto não traria contradição alguma entre os dois textos, mas é claro, esta é apenas uma forma de interpretar quem seria o adversário. Mas opiniões a parte, o que não cabe aqui é entendermos que “Satanás” incitou Dãwidh.

Alguns afirmam que apesar de “sãtãn” significar “adversário”, nas Escrituras existe o termo “hasãtãn” que no caso se trataria de “Satanás”. O termo “hasãtãn” é o “sãtãn” que recebe um “He” com “Qamatz” no início da palavra que é no Hebraico um artigo definido, que traduzindo seria “O adversário”.

O termo “O adversário” não diz respeito a um único adversário, assim como o termo “O rei” não diz respeito à um único rei. Portanto, hasãtan não necessariamente diz respeito a uma criatura em sí, mas é um estereótipo utilizado para determinar um adversário de destaque na história.

O termo “hasãtãn” aparece 17 vezes em todo o Tanakh, sendo 14 vezes no livro de Iyov e 3 vezes no livro de Zekhar’yãh.

"E ele mostrou-me o sumo sacerdote Yehoshua/Josué, o qual estava diante do anjo de YHWH, e Satanás [וְהַשָּׂטָ֛ן - wehasãtãn] estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas YHWH disse a Satanás [הַשָּׂטָ֔ן - hasãtãn]: YHWH te repreenda, ó Satanás [הַשָּׂטָ֔ן - hasãtãn], sim, YHWH, que escolheu Yerushãlayim/Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?"
Zekhar’yãh/Zacarias 3.1-2

Vamos mudar esta tradução para facilitar a compreensão?

"E ele mostrou-me o sumo sacerdote Yehoshua, o qual estava diante do anjo de YHWH, e o adversário estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas YHWH disse ao adversário: YHWH te repreenda, ó adversário, sim, YHWH, que escolheu Yerushãlayim, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?"
Zekhar’yãh/Zacarias 3.1-2

O X desta questão é que “o adversário” não é um adversário de YHWH, mas sim, um adversário do Sacerdote Yehoshua. Observe que existe duas pessoas para Yehoshua, uma está a favor e outra contra, por isso, uma se chama “Anjo de YHWH” e a outra se chama “Adversário”.

Semelhante a Zekhar’yãh, temos os textos de Iyov que nos traz uma ideia semelhante.

"E num dia em que os filhos de hãElohim vieram apresentar-se perante YHWH, veio também Satanás [הַשָּׂטָ֖ן - hasãtãn] entre eles. Então YHWH disse a Satanás [הַשָּׂטָ֖ן - hasãtãn]: Donde vens? E Satanás [הַשָּׂטָ֖ן - hasãtãn] respondeu à YHWH, e disse: De rodear a terra, e passear por ela. E disse YHWH a Satanás [הַשָּׂטָ֖ן - hasãtãn]: Observaste tu a meu servo Iyov/Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Elohim, e que se desvia do mal. Então respondeu Satanás [הַשָּׂטָ֖ן - hasãtãn] à YHWH, e disse: Porventura teme Iyov/Jó a Elohim debalde?"
Iyov/Jó 1.6-9

Algumas coisas não encaixam nesta história. Satanás não foi expulso do céu? Então como é que Satanás tem acesso livre desta forma? Ele simplesmente chega entrando junto com os anjos no céu? Mas vamos supor que ele entrou escondido, ainda assim, YHWH está falando de forma muito amigável para com alguém que é seu inimigo e ainda invadiu o céu escondido. Caro leitor, pense bem: Um sacerdote para entrar no Santo dos Santos tinha que estar puro e cumpria mandamentos específicos só pra ele, ou seja, havia um rigor tremendo para que o sumo sacerdote pudesse estar diante da presença de Elohim. Aí eu te pergunto, como um ser maligno, imundo, cheio de pecados e ódio pode estar se apresentando diante de YHWH de forma tão natural? Isto não lhe soa meio estranho?

O que podemos observar é que este conceito em Iyov é o mesmo de Zechar’yãh. O adversário é um adversário do Homem e não de YHWH. Portanto não podemos aqui afirmar que hasãtãn é um ser maligno adversário de YHWH, pois não há nada que fale a respeito disso.

Aqui nós analisamos todas as formas e aplicações da palavra sãtãn dentro da Tanakh, e nada encontramos a respeito deste inimigo de YHWH, pelo contrário, apenas encontramos Homens sendo adversário de Homens, o Anjo de YHWH sendo adversário do Homem, ou uma figura que ilustra um adversário do Homem.

Se formos olhar todo o Tanakh, não vamos encontrar um único local que fale a respeito deste “Anjo caído” e sua queda. Leia Bereshith (Gênesis) 1 e 2, e note que em momento algum fala a respeito da queda de “Lucifer e seus anjos”. Mas como assim um fato tão importante não foi descrito no momento da Criação? Se isso fosse importante, certamente estaria lá, mas não está!

Apesar de não existir uma única linha do Tanakh falando a respeito deste “Anjo caído”, as religiões usam forçadamente alguns textos do Tanakh para justificar esta crença, e vamos analisa-las aqui para não deixar dúvidas.

"Assim diz o Senhor YHWH: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Elohim; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Elohim estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou Iniqüidade em ti."
Yechez'qel/Ezequiel 28.12-15

Esta passagem é muito usada para justificar a doutrina da queda de Lucifer, mas o grande problema é que este texto está completamente fora de contexto. Basta contextualizarmos o texto e veremos de quem o profeta está falando.

"Veio a mim a palavra de YHWH, dizendo: Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor YHWH: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Elohim; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Elohim estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou Iniqüidade em ti."
Yechez'qel/Ezequiel 28.11-15

O profeta esclarece que a lamentação é a respeito do Rei de Tiro e não a respeito de Lucifer. Apesar do texto dizer “estiveste no Eden”, isso não quer dizer que Tiro estava literalmente no Jardim do Eden de Gn 2. Yechez’qel está falando de forma poética, e o Eden mencionado significa que Tiro era um país próspero. Yechez’qel utiliza de uma linguagem poética para falar a respeito dos reis das nações, e não apenas contra o Rei de Tiro ele usa esta linguagem, mas também utiliza a respeito dos reis de outras nações, como por exemplo, o Rei do Egito.

"E sucedeu, no ano undécimo, no terceiro mês, ao primeiro do mês, que veio a mim a palavra de YHWH, dizendo: Filho do homem, dize a Faraó, rei do Egito, e à sua multidão: A quem és semelhante na tua grandeza? Eis que a Assíria era um cedro no Líbano, de ramos formosos, de sombrosa ramagem e de alta estatura, e a sua copa estava entre os ramos espessos. As águas o fizeram crescer, o abismo o exalçou; as suas correntes corriam em torno da sua plantação, e ele enviava os regatos a todas as árvores do campo. Por isso se elevou a sua estatura sobre todas as árvores do campo, e se multiplicaram os seus ramos, e se alongaram as suas varas, por causa das muitas águas quando brotava. Todas as aves do céu se aninhavam nos seus ramos, e todos os animais do campo geravam debaixo dos seus ramos, e todas as grandes nações habitavam à sua sombra. Assim era ele formoso na sua grandeza, na extensão dos seus ramos, porque a sua raiz estava junto às muitas águas. Os cedros, no jardim de Elohim, não o podiam obscurecer; as faias não igualavam os seus ramos, e os castanheiros não eram como os seus renovos; nenhuma árvore no jardim de Elohim se assemelhou a ele na sua formosura. Formoso o fiz com a multidão dos seus ramos; e todas as árvores do Éden, que estavam no jardim de Elohim, tiveram inveja dele."
Yechez'qel/Ezequiel 31.1-9

A palavra “Assíria” está marcada, pois há controvérsias a respeito dela, mas focando no que nos interessa no momento é o seguinte: Seria o Rei do Egito literalmente uma árvore? Creio que ninguém em sã consciência diria que sim. Portanto, se em Yechez’qel 31 a linguagem é poética, logo, em 28 também. Afinal, tem que forçar muito a barra para dizer que em um é literal e no outro não.

Outro texto que é igualmente distorcido é o de Yesha’yãhu 14, conforme abaixo:

"Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Êl exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo."
Yesha'yãhu/Isaías 14.12-15

Neste texto temos muitas coisas para se falar, mas vamos matar logo a questão e depois entrar nos pormenores. O profeta não está falando de um Anjo que se rebelou contra Elohim, mas sim, está falando a respeito do Rei de Babilônia. Para percebermos isso basta lermos o início do pereq (Capítulo) que veremos.

"Então proferirás este provérbio contra o rei de babilônia, e dirás: Como já cessou o opressor, como já cessou a cidade dourada!"
Yesha'yãhu/Isaías 14.4

Dois pontos importantes é que em provérbios se usa muito linguagens poéticas, e além disso está claramente dizendo que é contra o Rei de Babilônia. Mas caso você ainda não esteja satisfeito, vamos analisar uma outra parte para não deixar mais dúvidas. Os pessuqim de 12 a 15 falam a respeito do “anjo caído”, mas e o pãsuq 16? Vamos analisar:

"Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Êl exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o HOMEM que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos?"
Yesha'yãhu/Isaías 14.12-16

O profeta deixa bastante claro que ele está falando de um Homem e não de um anjo. É muito arbitrário uma pessoa falar que de 12 à 15 se trata de Lúcifer e no 16 se trata do Rei de Babilônia.

Mas ainda ficou algumas pontas soltas que precisam ser esclarecidas. A palavra “Lúcifer” é uma delas. No Hebraico nós temos הֵילֵל – Hêlêl que significa “brilhante” ou “estrela da manhã”. Hêlêl vem de הָלַל – hâlal que significa “brilhar”. A palavra “Lúcifer” veio da Vulgata que significa “estrela da manhã”, uma referência ao planeta Vênus. Ou seja, “Lúcifer” não é o nome de um anjo, mas sim, substantivo para se referir à um planeta.

No texto também diz: “Eu subirei ao céu”, mas ora, “Lúcifer” já não estava no céu? Por que ele subiria ao céu se lá ele já estava? Certamente esta é uma forma poética para falar a respeito de um Homem que quis se exaltar.

Outro ponto importante que precisa ser analisado antes de fechar a questão é: “E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.”. No Hebraico, temos a palavra “she’ol” que na verdade significa “sepultura”. Para mais informações a respeito de “she’ol”, leia o artigo: O conceito Tanaico de “Inferno”.

Pra concluir, vamos refazer esta tradução para ficar melhor a compreensão.

"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Êl exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás à sepultura, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos?"
Yesha'yãhu/Isaías 14.12-16

Agora sim podemos compreender melhor esta profecia! E todos os pontos foram desmistificados.

Conclusão

O que vimos neste artigo foi:

  • Sãtãn significa “Adversário”;
  • O adversário pode ser um Homem, O Anjo de YHWH ou um personagem;
  • O termo “hasãtãn” não diz respeito a um único ser;
  • O Tanakh inteiro não fala a respeito de hasãtãn ser inimigo de YHWH;
  • Yechez’qel fala a respeito do rei de Tiro;
  • Yesha’yãhu fala a respeito do rei de Babilônia;

Caro leitor, reflita comigo: Como um ser que pode ser tão nocivo à humanidade não foi descrito uma única vez em todo o Tanakh? Tudo o que temos são textos fora de contextos para justificar a existência de um suposto inimigo de YHWH. Teria deixado YHWH o seu Povo Eleito sem informações tão importantes como esta? Teria deixado YHWH o seu Povo Eleito nas mãos de “Satanás” por não falar uma única vez a respeito deste ser? Será que é tão importante assim estudarmos a respeito de um ser que não é mencionado uma única vez em todo o Tanakh?

A grande questão não é debater se existe ou não este ser, mas sim, que muitas pessoas incorrem em idolatria, tirando o foco daquele que é Único para temer a algo que nem ao menos existe!

Material produzido por: Edenyah ben Adam
Conecte-se conosco no Facebook
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Twitter
Se inscreva em nosso Canal
Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Proibida a reprodução sem o consentimento dos responsáveis