Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Artigos
A cavalaria real

O título deste artigo é um tanto retrogrado, e visa expressar a visão de Mãshiach de muitos judeus de antigamente e dos atuais. Em nossos dias, os judeus descrentes esperam um Mãshiach que seja um líder político (obviamente se trata de uma adaptação à realidade atual), e os judeus do passado esperavam um Mãshiach que fosse um guerreiro que libertasse o povo do julgo dos demais povos.

Mas como o Tanakh descreve o Mãshiach? O Tanakh descreve em algum momento o aparecimento do Mãshiach vindo montado em sua cavalaria real para vir salvar o povo?

Analisando o Tanakh

Vamos analisar a profecia a respeito de Yehudhãh (Judá), ao qual Ya’aqov (Jacó) profere a respeito de seus filhos.

"Yehudhãh/Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de teus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Yehudhãh/Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará? O cetro não se arredará de Yehudhãh, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Shiloh; e a ele se congregarão os povos. Ele amarrará o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas. Os olhos serão vermelhos de vinho, e os dentes brancos de leite."
Bereshith/Gênesis 49.8-12

O pãssuq 8 começa mostrando que Yehudhãh estará na liderança entre seus irmãos, apesar dele ter se curvado para Yosseph (José), mas sua descendência será uma descendência de lideres para Yisrã’el. Agora fica uma pergunta que todos fazem: Se Yosseph foi o líder que salvou seus irmãos da fome, por que a linhagem real vem de Yehudhãh?

A pergunta acima será respondida mais a frente, após analisarmos melhor o restante desta profecia.

O pãssuq 8 ainda tem mais a nos revelar. Nele vemos o jogo de palavras entre o nome de Yehudhãh, louvar e mão. Vejamos o texto em Hebraico.

יְהוּדָ֗ה אַתָּה֙ יֹוד֣וּךָ אַחֶ֔יךָ יָדְךָ֖ בְּעֹ֣רֶף אֹיְבֶ֑יךָ יִשְׁתַּחֲוּ֥וּ לְךָ֖ בְּנֵ֥י אָבִֽיךָ׃

Yehudhãh attãh yodhukhã achekhã yãdhekãh be'oreph o'yevekhã yis'tachawu lekha bene avikhã

Yehudhãh (יְהוּדָה) tem por origem a palavra Yãdhãh (יָדָה) que significa louvar ou enaltecer, e esta por sua vez tem origem na palavra Yãdh (יָד) que significa mão. A relação destas 3 palavras descrevem características da liderança de Yehudhãh. O “louvor” (yãdhãh) que Yehudhãh receberia de seus irmãos está intimamente ligado ao trabalho de suas “mãos” (yãdh). Por sua vez, a “mão” tem um grande número de significados. Mãos representam conforto, ajuda, proximidade, autoridade, força, confiança, etc. Portanto, já começamos a ver alguns traços deste líder Yehudhi, que vai mais além de uma simples descrição  de “líder político”. Percebemos traços de humildade e simplicidade quando nos aprofundamos mais no texto hebraico.

"Yehudhãh é um leãozinho[ar’yeh], da presa subiste, filho meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará?"
Bereshith/Gênesis 49.9

No pãssuq 9 temos a figura de um leão representando Yehudhãh. Em Hebraico leão é A’ri (אֲרִי) que tem origem em Ãrãh (אָרָה), que significa colher ou juntar. O leão é um animal que reuni para proteger o grupo. A figura do leão também representa força como pode ser visto em 1Sm 1.23.

Portanto, podemos partir para algumas conclusões a respeito da figura do leão:

  1. O Mãshiach reuniria o seu povo;
  2. O Mãshiach mantem reunido o seu povo;
  3. Com força, o Mãshiach mantem reunido ou reúne o seu povo.

De fato, se os reis de Yehudhãh tivessem sido fieis a YHWH, o povo não teria sido disperso, o reino não teria se dividido, etc.

No pãssuq 10 temos uma ideia de reunião, porém, talvez mais universalista. E neste se revela a forma como será feita a reunião.

"O cetro não se arredará de Yehudhãh/Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos."
Bereshith/Gênesis 49.10

Difícil entender o porque a JFA usou o termo “congregar” sendo que o texto hebraico traz algo um pouco diferente.

לֹֽא־יָס֥וּר שֵׁ֙בֶט֙ מִֽיהוּדָ֔ה וּמְחֹקֵ֖ק מִבֵּ֣ין רַגְלָ֑יו עַ֚ד כִּֽי־יָבֹ֣א [שִׁילֹה כ] (שִׁילֹ֔ו ק) וְלֹ֖ו יִקְּהַ֥ת עַמִּֽים

Em Negrito temos as duas palavras que gostaria de dar ênfase. Em negrito temos yiqqehath ammim. Yiqqehath significa obediência, e ammim pode significar pessoas, povo ou povos. Portanto, temos 3 possíveis traduções:

  • “Ele trará obediência às pessoas”, referência às 12 tribos;
  • “Ele trará obediência a um povo”, improvável, pois nenhum povo é citado;
  • “Ele trará obediência aos povos”, referência universalista;

A interpretação entre as opções acima é um tanto pessoal, e fica a critério de cada um entender do modo em que desejar. Mas gostaria de dar ênfase sobre a questão da obediência. Yehudhãh reunirá em sua volta pessoas obedientes. A quem a obediência? Obviamente a obediência é voltada à YHWH através de sua Torãh. Nisto se revela um aspecto bastante curioso a respeito do Mãshiach, pois este será um pastor para o povo, conduzindo-os em obediência e santidade.

Em Yechez’qel vemos também esta ideia de um Mãshiach que será um pastor para o seu povo.

"E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Dhãwidh/Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor."
Yechez'qel/Ezequiel 34.23

Dhãwidh (primeiro rei da tribo de Yehudhãh) aqui figuradamente como Mãshiach é um pastor para o povo de Yisrã’el. Portanto, a simples ideia de um Mãshiach guerreiro ou líder político não é satisfatória, uma vez que o foco de YHWH não é a libertação de Yisrã’el por simplesmente libertar. O foco é em primeiro lugar a santidade de Seu povo, e uma vez que o Povo caminhasse em santidade, aí sim, viria a libertação.

Ainda analisando o pãsuq 10 de Bereshith 49, temos uma parte um tanto curiosa que deixa muitos com perguntas.

"(...) até que venha Siló; (...)"
Bereshith/Gênesis 49.10

Mas quem seria Siló? Conforme a concordância Strong, (Shiloh = שִׁילֹה) é um substantivo, provavelmente uma variação de (shelo = שֶׁלּוֺ) que significa “aquele a quem pertence”. Portanto, Shiloh parece indicar um título messiânico, indicando que o cetro não se apartaria de Yehudhãh, até que viesse o seu legítimo detentor.

Ainda sobre Shiloh, temos mais uma curiosidade. O termo shiloh se repete duas vezes com uma variação escrita, porém, mantendo semelhante pronuncia.

לֹֽא־יָס֥וּר שֵׁ֙בֶט֙ מִֽיהוּדָ֔ה וּמְחֹקֵ֖ק מִבֵּ֣ין רַגְלָ֑יו עַ֚ד כִּֽי־יָבֹ֣א [שִׁילֹה כ] (שִׁילֹ֔ו ק) וְלֹ֖ו יִקְּהַ֥ת עַמִּֽים

As palavras em negrito são “Shiloh kh Shilo q”. Não existe uma tradução exata, e não sabemos se isto se trata de uma expressão idiomática. Mas deixo uma pergunta a você leitor. A repetição do termo “Shiloh shilo” não poderia indicar as duas vindas do Mãshiach? Observe também que temos duas letras junto aos termos “Shiloh shilo”. Temos o khaph e o Qoph. Khaph e Qoph significam respectivamente “Mão” e “Cercar”. Mão (como já vimos no pãsuq 8) tem um sentido de ajudar, cuidar, etc. Cercar (como já vimos no pãsuq 9, através da figura do leão) tem um sentido de cuidar, proteger, juntar. Isto reforça ainda mais a ideia de duas vindas do Mãshiach.

No pãsuq 11 temos algo bastante interessante e que é mal interpretado por muitos.

"Ele amarrará o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas."
Bereshith/Gênesis 49.11

Muitos entendem que a figura do “jumentinho” se trata de uma característica de simplicidade, humildade ou pobreza. Isto ocorre por que estas pessoas se baseiam no texto de Zekhar’yãh, conforme abaixo:

"Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre [ãny - עָנִי֙], e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta."
Zekhar'yãh/Zacarias 9.9

A versão João Ferreira de Almeida trás para ãny a tradução “pobre”, porém, ãny pode ser traduzido também como humilde ou aflito. O fato do Salvador estar montado em um jumento não está relacionado com “ãny”, pelo contrário, são dois fatos opostos. O jumento era um animal de valor, e Zekhar’yãh está mostrando que o Mãshiach não será um homem imponente, mas sim, um homem humilde. Humilde, mas ainda assim, este receberá os cortejos reais.

Podemos ver que o jumento era um animal de valor através dos textos abaixo:

"Trinta camelas de leite com suas crias, quarenta vacas e dez novilhos; vinte jumentas e dez jumentinhos;"
Bereshith/Gênesis 32.15

Ya’aqov desejava agradar seu irmão, e por isso ele presenteou seu irmão com jumentas e jumentinhos.

"Vós os que cavalgais sobre jumentas brancas, que vos assentais em juízo, que andais pelo caminho, falai disto."
Shophitim/Juizes 5.10

No cântico de Devorãh, as jumentas brancas eram os animais da realeza. Somente pessoas importantes cavalgavam em jumentas brancas, reis, governadores, etc.

Existem vários exemplos bíblicos a respeito, mas por motivo de brevidade, vamos nos ater a apenas estes dois. O que temos que focar é que o jumento é um símbolo da realeza que foi dada à Yehudhãh.

No pãsuq 11 temos mais uma vez o jogo de palavras que encontramos no pãsuq 10, desta vez com a palavra jumento ([עִירֹה כ] (עִירֹ֔ו ק)). O mesmo ocorre com a palavra “roupas”.

Dando continuidade ao texto do pãsuq 11, vemos o seguinte.

"(...)ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas."

Esta parte é um tanto curiosa e difícil de interpretar. O que Ya’aqov estaria dizendo com isso? Vamos começar buscando entender o que representa o vinho e uvas. As uvas e o vinho eram bem vistos nas sociedades antigas. Uma fruta doce ao paladar e o vinho representava banquetes, festas e alegria. Apesar da boa imagem que o símbolo das uvas e vinho trazem, temos algo que nos chama a atenção. O texto traz “sangue de uvas”, o que não é comum. É comum usar o termo “suco” para representar o caldo das uvas, e não o termo “sangue” (Vide: Bamidh’bar/Números 6.3).

A palavra “sangue” que a partir do Hebraico temos (uvedam - וּבְדַם), parece indicar que as uvas simbolizam pessoas. Temos alguma referência disto? Sim, em Yesha’yãhu.

"Cantarei para o meu amigo o seu cântico a respeito de sua vinha: Meu amigo tinha uma vinha na encosta de uma fértil colina. Ele cavou a terra, tirou as pedras e plantou as melhores videiras. Construiu uma torre de sentinela e também fez um tanque de prensar uvas. Ele esperava que desse uvas boas, mas só deu uvas azedas. Agora, habitantes de Yerushãlayim/Jerusalém e homens de Yehudhãh/Judá, julguem entre mim e a minha vinha. Que mais se poderia fazer por ela que eu não tenha feito? Então, por que só produziu uvas azedas, quando eu esperava uvas boas?"
Yesha'yãhu/Isaías 5.1-4

Yesha’yãhu usa do símbolo das uvas como uma forma de representar os Yehudhim do Reino do Sul. Portanto, podemos ver que o “sangue de uvas” é uma representação para o povo de Yisrã’el.

Concluindo a profecia feita à Yehudhãh, o pãsuq 12 nos trás mais alguns termos misteriosos.

"Os olhos serão vermelhos de vinho, e os dentes brancos de leite."
Bereshith/Gênesis 49.12

O vinho nós já vimos que representa o sangue, mas e o leite? Vejamos em Yesha’yãhu o que representava o leite na cultura semita.

"A quem, pois, se ensinaria o conhecimento? E a quem se daria a entender doutrina? Ao desmamado do leite, e ao arrancado dos seios?"
Yesha'yãhu/Isaías 28.9

O leite sempre foi o principal ou único alimento dos bebês, tanto de humanos quanto dos demais animais. Por isso, o leite representa a inocência de uma criança, a pureza, ingenuidade, etc.

Mas ainda nos falta entender, o porquê dos olhos vermelhos de vinho e dentes brancos de leite. Os olhos são a porta de entrada, ou aquilo que o Homem absorve para si, e os dentes representando a boca, é a porta de saída, representação a expressão de suas obras.

Portanto, podemos entender que os olhos vermelhos de vinho representa uma situação trágica ou contexto social trágico, envolvendo a própria morte ou a morte do povo do qual este estaria presenciando, mas, apesar de tudo, este seria uma pessoa pura como uma criança, de fala mansa e de atos inocentes.

Conclusão

O que vimos até aqui nos mostra que esta visão de um Mãshiach como um líder guerreiro ou líder político não está de acordo com tal profecia. É certo que o Mãshiach vai vir para liderar, mas a forma como ele conquista a liderança não condiz com este pensamento judeu ao qual eles desejam um Mãshiach que conquiste a libertação pela força do braço.

Então vejamos um resumo do que seria o Mãshiach:

  • A mão que simboliza o conforto, ajuda, etc;
  • O leão que reúne e congrega o seu povo;
  • Ele congregará o seu povo através da obediência;
  • Existe um jogo de palavras que podem fazer alusão a duas vindas;
  • Ele receberá as honras reais, porém, será um homem de aflições;
  • Há uma alusão a sua própria morte;
  • Ele será manso em suas palavras e ensinamentos;
Material produzido por: Edenyah ben Adam
Conecte-se conosco no Facebook
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Twitter
Se inscreva em nosso Canal
Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Proibida a reprodução sem o consentimento dos responsáveis