Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Reflexões
Quando a fé perde o fervor

Atualmente, muitos estão fazendo Teshuvãh e retornando às veredas antigas. Muitos destes que fazem Teshuvãh vem do Cristianismo/Protestantismo. Ocorre que alguns destes novos Israelitas tendem a detestar tudo aquilo que lhes recorde os seus tempos de cristão. No meio cristão é comum muitos cânticos, danças, teatro, etc, porém, pouco foco em estudos e cumprimento dos mandamentos. Algumas instituições ensinam que até mesmo o dízimo e ofertas são formas de se louvar ao Eterno.

Estes que eram fervorosos dentro do Cristianismo, costumam ao sair dele, ter pavor de tudo o que lembre os seus dias dentro do Cristianismo e neste momento, estes mesmos vão de uma extremidade à outra. Estes novos Israelitas, apoiados no entendimento de que “não existe maior louvor que cumprir os mandamentos” se inclinam mais e mais para uma fé “fria e calculista”, podemos assim dizer. Gostaria de frisar que de fato, o maior louvor que podemos oferecer ao Eterno é uma vida de retidão e santidade, mas ao mesmo tempo, não podemos nos tornar como um deserto ressecado em nossa fé.

Algumas pessoas vão tão fundo nesta ideia de que apenas cumprir os mandamentos é o que interessa, que estes começam a rejeitar os cânticos, as reuniões e até mesmo as orações. Não podemos nos deixar ir por este caminho, mas devemos aprender com as Escrituras a respeito do rei Ãsã.

Ãsã foi um rei muito temente à Elohim e firme na busca de uma vida em retidão conforme as Escrituras.

"Ouvindo, pois, Ãsã estas palavras, e a profecia do profeta Odhedh, cobrou ânimo e tirou as abominações de toda a terra, de Yehudhãh/Judá e de Ben’yãmin/Benjamim, como também das cidades que tomara nas montanhas de Ef’rayim, e renovou o altar de YHWH, que estava diante do pórtico de YHWH. E reuniu a todo o Yehudhãh/Judá, e Ben’yãmin/Benjamim, e com eles os estrangeiros de Ef’rãyim e Menasheh/Manassés, e de Shim’on/Simeão; porque muitos de Yisrã’el tinham passado a ele, vendo que YHWH seu Elohim era com ele. E ajuntaram-se em Yerushãla’yim/Jerusalém no terceiro mês; no ano décimo do reinado de Ãsã. E no mesmo dia ofereceram em sacrifício à YHWH, do despojo que trouxeram, setecentos bois e sete mil ovelhas. E entraram na aliança para buscarem YHWH Elohim de seus pais, com todo o seu coração, e com toda a sua alma; E de que todo aquele que não buscasse à YHWH Elohim de Yisrã’el, morresse; assim o menor como o maior, tanto o homem como a mulher. E juraram à YHWH, em alta voz, com júbilo e com trombetas e buzinas. E todo o Yehudhãh/Judá se alegrou deste juramento; porque de todo o seu coração juraram, e de toda a sua vontade o buscaram, e o acharam; e YHWH lhes deu repouso ao redor. E também a Ma’akhãh/Maaca, sua mãe, o rei Ãsã depôs, para que não fosse mais rainha, porquanto fizera um horrível ídolo, a Aserá; e Ãsã destruiu o seu horrível ídolo, e o despedaçou, e o queimou junto ao ribeiro de Cedrom.
Div’rê Hayãmim Beth/2 Crônicas 15.8-16

Observe que Ãsã foi um homem temente e bastante reto e integro em sua vida. Nem mesmo sua mãe ele poupou. Porém Ãsã se deixou esfriar e sua fé foi se tornando vazia. Mesmo ele ainda cumprindo os mandamentos, ele deixou de buscar o Eterno e se tornou como um deserto.

"E, no ano trinta e nove do seu reinado, Ãsã caiu doente de seus pés, a sua doença era em extremo grave; contudo, na sua enfermidade, não buscou à YHWH, mas antes os médicos."
Div'rê Hayãmim Beth/2 Crônicas 16.12

Caro leitor, não é errado procurar os médicos na doença, mas o que temos aqui é um exemplo de fé que se esfriou. O cumprimento dos mandamentos pode acabar virando uma rotina, e as pessoas podem acabar seguindo os mandamentos apenas pelo costume de seguir, e não por um desejo de buscar as coisas do alto. Assim como no casamento é ruim cairmos na rotina, em nosso relacionamento com o Eterno também não devemos nos deixar cair em rotina, mas devemos sempre nos alegrar em estarmos em comunhão com o Eterno.

Sejamos como Dhãwidh que cantava e dançava na presença do Eterno. Façamos de suas festas uma alegria, façamos dos Shabãtoth um motivo de alegria por estamos reunidos e aprendendo cada vez mais do Eterno. Que nossa alegria seja plena ao buscarmos o Eterno e sejamos desejosos em viver o cumprimento da Torãh em seu modo pleno, que é o cumprimento aliado a satisfação de estar cumprindo.

Conclusão

Caro leitor, é comum, quando nos sentimos enganados, desprezar aquilo que nos trás tal sofrimento. Pensar nos anos que se perdeu dentro de uma doutrina cheia de falhas nos trás um grande sentimento de revolta. Mas não podemos permitir que esta revolta nos cegue na fé. Não podemos permitir que esta revolta nos guie por um caminho de frieza e do vazio. Infelizmente alguns que fazem a Teshuvãh acabam atingindo um deserto seco e sem vida, assim como o rei Ãsã.

Material produzido por: Edenyah ben Adam
Conecte-se conosco no Facebook
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Twitter
Se inscreva em nosso Canal
Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Proibida a reprodução sem o consentimento dos responsáveis