Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Reflexões
Por que somos falhos?

Quantas vezes você que busca viver em santidade já não se perguntou: “Por que eu continuo a vacilar?”. Esta é uma pergunta normal, e não pense que você é o único a falhar e vacilar no caminho. Não pense você: “Não consigo seguir este caminho, não sou como os outros, não consigo ser perfeito!”.

Todos nós temos uma falha, mas por que todos nós falhamos? A resposta mais simples e direta para esta pergunta é: Porque somos incompletos!

Um ato comum para exemplificar esta questão é algo que muitos fazem ou conhecem pessoas que o fazem. Algumas pessoas ao ficarem tristes ou ansiosas descontam estes sentimentos na comida, e passam a comer descontroladamente, as vezes comendo muito de uma só vez, ou as vezes, comendo de pouco a pouco, mas em um intervalo muito pequeno de tempo. Não estou dizendo que isso seja um pecado, mas estou dando um exemplo simples para seguir adiante no raciocino. Mas por que isto acontece? A razão é simples. Nossos sentimentos são substancias liberadas pelo nosso cérebro que geram reações químicas em nossos corpos. Certas substâncias nos dão a sensação de leveza, como por exemplo, os sentimentos de alegria, já outras nos dão a sensação de peso e cansaço, como a tristeza e stress. Uma contramedida do nosso corpo a estas sensações de peso e cansaço é procurar ganhar mais energia e a energia vêm dos alimentos, por isso, as pessoas descontam na comida as suas frustrações.

Semelhante a isto (agora vamos à questão do pecado), alguns vivem na embriaguez, pois buscam uma forma de lhe dar com o peso de seus sentimentos e recordações, outros não conseguem largar a pornografia por se sentir só e assim por diante.

A forma mais simples de lhe dar com o pecado é primeiramente se conhecer, pois o auto conhecimento vai ser o seu aliado neste caminho. Primeiro entenda o que te leva a cobiçar tal ato pecaminoso. Busque em você o que lhe está faltando ou o que está gerando um peso na sua vida. Também analise com que frequência estas coisas ocorrem, e qual momento isto mais lhe afeta. Entendendo isto, você vai procurar medidas saudáveis de combater este desejo por atos pecaminosos. Busque em seu dia a dia formas para preencher aquilo que lhe falta, ou busque saber com outras pessoas, como elas conseguiram vencer tal cobiça.

Algumas pessoas conseguem vencer a cobiça pelo pecado simplesmente por adotar uma nova rotina, aderindo a exercícios físicos, seguindo uma dieta saudável (consultar um profissional), etc. Exercícios físicos por exemplo, liberam uma grande quantidade de substâncias em nosso corpo que nos fazem sentir leves e nos ajuda a descarregar o peso dos maus sentimentos. Mas os exercícios não podem ser a única forma de lhe dar com um problema, pois caso contrário, você se tornará dependente disto, tornando em algo ruim, e sobrecarregando o seu corpo.

Mas algumas pessoas podem pensar: “Se desejo viver em santidade, por que o HaShem me permite ser incompleto? Bastava Ele me abençoar e me dar aquilo que me falta para que eu não venha mais pecar!”. Esta é uma lógica muito simples, mas infelizmente não é assim que acontece na prática.

Se nós pensarmos que a riqueza do rico gera a cobiça e inveja no pobre, basta que todos tenham a mesma quantidade de bens que tudo vai estar resolvido, certo? Errado! Vejamos na Torãh por exemplo o que houve com Qayin e Hãvel (Caim e Abel). Conforme o texto, só havia os dois, seu pai e sua mãe, ou seja, ambos eram da mesma família, com a mesma renda familiar, mas ainda assim Qayin invejou Hãvel ao ponto de matar seu próprio irmão.

O que podemos perceber com isso é que, não é eliminando a possibilidade de pecar que acabamos com o pecado, mas sim, acabamos com o pecado quando aprendemos a ter domínio sobre nós mesmo.

"E YHWH disse a Qayin: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar."
Bereshith/Gênesis 4.6-7

Desde o princípio YHWH nos ensina que devemos seguir os mandamentos para estarmos bem, mas caso não estejamos, devemos dominar sobre nossos anseios e aflições, sobre nossas angústias e desejos. Perceba que para acabarmos com o pecado, devemos aprender a ter controle sobre nós mesmo, evoluindo e nos tornando pessoas melhores. Ou seja, aquilo que gera em ti o desejo pelo pecado, é aquilo que pode lhe impulsionar a crescer.

Shã’ul HaShãliach diz algo semelhante a respeito:

"Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, operou em mim toda a concupiscência; porquanto sem a lei estava morto o pecado. E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. E o mandamento que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou. E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Logo tornou-se-me o bom em morte? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte pelo bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno. Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa."
Rumanyah/Romanos 7.7-16

Portanto, o pecado ainda existe para que você possa aprender e crescer. Busque se conhecer mais para então aprender a dominar seus desejos, e assim, você aprenderá como superar o pecado se tornando uma pessoa melhor a cada dia e dando mais um passo rumo à santidade de YHWH.

Material produzido por: Edenyah ben Adam
Conecte-se conosco no Facebook
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no Twitter
Se inscreva em nosso Canal
Nação Sacerdotal Yeshua Melekh
Proibida a reprodução sem o consentimento dos responsáveis